quarta-feira, 2 de agosto de 2017

O apego exagerado ao poder representa um grande perigo



O apego, assim como a vaidade, quando sob controle é até elogiável e aceitável, mas, quando esse apego e vaidade fogem ao controle de quem os tem, sobretudo dos detentores de poder, esse apego e essa vaidade tornam-se perigosos, porque, para se manter no poder o homem é capaz dos piores vícios e de atos que fogem a qualquer noção de racionalidade.

Esse parece ser o caso do presidente Temer, um governante que o povo brasileiro rejeita, mas que ele insiste em desafiar, permanecendo contra a vontade desse mesmo povo no comando do país. Ocorre que Temer não quer se desapegar do poder e a sua vaidade supera qualquer entendimento da realidade brasileira. Temer está flertando com o perigo e colocando o Brasil sobre o abismo, o que poderá levá-lo a mergulhar num precipício. Alguém precisa dizer para Sua Excelência, o presidente Michel Temer que ele, além de não estar agradando, ele está empurrando este país para uma grande tragédia.

Os números negativos da economia, o aumento da pobreza e a falta de perspectiva do povo brasileiro quanto ao seu futuro, estão criando um caldo de cultura que está levando os brasileiros à loucura. O número assustador de crimes de morte que estão acontecendo em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Fortaleza, inclusive de policiais, nos dão bem uma ideia do nível de insegurança que tomou conta do país. Sob Temer, o Brasil mergulhou num oceano de violência e insegurança. Até quando? Com a palavra, os nossos congressistas.

Wladimir Costa: "motivo de orgulho do povo paraense"
Postar um comentário