segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

A vida simples como sinônimo de liberdade


Quanto mais simples é a vida, mas fácil é vive-la”. (Tomazia Arouche)

Consumir de maneira compulsiva revela o desejo da pessoa buscar a felicidade. A busca permanente da felicidade acaba tornando a pessoa mais infeliz ainda. É que essa busca acaba tornando-se uma obsessão.

Vida simples é um conceito. Vida simples ou simplicidade voluntária é um estilo de vida no qual os indivíduos conscientemente escolhem minimizar a preocupação com o "quanto mais melhor", em termos de riqueza e consumo.

Viver de maneira simples é uma opção que a pessoa faz por levar uma vida que não atende aos apelos da propaganda - que visa induzir o indivíduo a consumir sempre mais e mais o supérfluo e sem controle.

Quem faz opção por levar uma vida simples se desapega de bens supérfluos, consumindo o estritamente necessário e indispensável para que a pessoa viva sem atropelos.

A pobreza é involuntária e debilitante, a simplicidade é voluntária e mobilizadora, adverte Duane Elgin, autor do livro Simplicidade Voluntária. “A vida simples é fazer um esforço consciente para descobrir o que realmente é importante e abrir mão do que é supérfluo, descobrindo assim que uma vida mais frugal exteriormente pode ser muito mais rica e abundante interiormente”.

Quem consegue pôr em prática esse estilo de vida, leva uma vida sem grandes preocupações, sem tensões e neuroses que o consumo fora de controle produz.

A liberdade da pessoa humana inicia-se quando ela se desapega de bens que são dispensáveis e que são consumidos, muito mais pelo apelo da propaganda do que por uma necessidade vital.
Postar um comentário