sexta-feira, 20 de março de 2015

O PT perdeu o bonde da história

A democracia no Brasil começou a ser forjada com a eleição indireta de Tancredo Neves e a presidência de José Sarney. De lá prá cá, o Brasil deu passos largos em direção à consolidação de um regime democrático que vem sendo comparado aos das grandes democracias mundiais.

O presidente da república José Sarney, conseguiu fazer a travessia de um regime de exceção para uma democracia plena e nesses quase 30 anos da Nova Republica a democracia brasileira - só no governo de Fernando Collor de Mello teve o seu futuro ameaçado, mas, as instituições democráticas se impuseram sobre as ameaças que rondaram o país e que poderia ter nos levado a um retrocesso.

Veio o governo da social democracia e o Brasil avançou muito nas conquistas sociais, o que ajudou bastante no fortalecimento de um regime que nos coloca entre as maiores democracias do mundo.

Com a chegada do Partido dos Trabalhadores (PT) ao poder, o povo brasileiro alimentou por muito tempo a esperança de que o Brasil promovesse uma ruptura com o que ainda havia de atrasado na política nacional, como por exemplo, a presença de coronéis e caciques na política brasileira, mas o PT, infelizmente não correspondeu à expectativa do povo brasileiro; muito pelo contrário, ao invés de avançar no campo democrático, o PT permitiu que o patrimonialismo, o fisiologismo e o clientelismo se fortalecessem de modo a que o PT e o PMDB realizassem o seu projeto de poder.

Em 2013, o povo brasileiro de maneira espontânea tomou contas das ruas do país para protestar contra a corrupção, a insegurança e pedir a realização de uma reforma política que contemplasse fundamentalmente o fim do instituto da reeleição, mas o Governo Federal e os seus partidos aliados ignoraram os protestos de um povo que não suporta mais conviver com tanta anarquia, corrupção e a sem cerimônia dos nossos políticos, como as encenadas pelos parlamentares que integram a CPI da Petrobras que ao invés de questionarem o presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, muito pelo contrário dedicaram uma seção inteira dessa CPI para elogiar um político fisiologista, como esse parlamentar fluminense. Uma seção onde o próprio líder do PT, o deputado federal Sibá Machado (PT-AC) fez rasgados elogios a um político que está sendo investigado pela Operação Lava Jato.


Neste momento em que escrevo este texto, as ruas do país estão sendo ocupadas por manifestantes que pedem o fim da corrupção, o fim do governo Dilma Rousseff e a condenação de políticos bandidos que vivem de assaltar os cofres públicos. Acorda Dilma Rousseff!
Postar um comentário