segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

A oposição não tem um líder carismático



O líder determina a estratégia, motiva, cria uma missão e forma consenso. O senador Aécio Neves (PSDB-MG), o principal nome da oposição, se muito pode ser considerado um líder circunstancial ou situacional.

O líder político precisa ter como principal característica o poder do convencimento através da palavra e da sua prática de vida. O que nenhum dos políticos que estão se apresentando neste momento, como líderes da oposição ao governo da presidenta, consegue reunir como qualidades.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), malgrado a sua expressiva votação na eleição presidencial de 2014, não tem estofo político para se apresentar como a principal liderança tucana porque não tem história e o eleitor mineiro, nessa eleição, não avalizou sua candidatura.

O PMDB, que não tem legitimidade para se posicionar como partido de oposição, busca no seu presidente nacional, Michel Temer, essa liderança que a oposição não tem. Uma tarefa bastante difícil, haja vista, o vice-presidente da república não ter um perfil que uma liderança política nacional precisa ter para aspirar um lugar de destaque na cena política brasileira. 

Michel Temer ainda tem contra si os rolos e os escândalos que alguns integrantes da cúpula peemedebista são protagonistas. Como Eduardo Cunha e Renan Calheiros, presidentes da Câmara Federal e do Senado, respectivamente. O próprio Michel Temer já teve o seu nome citado por delatores da Operação Lava-Jato.
Postar um comentário