segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Dilma ainda poderá salvar-se, mas o PT não


O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto sendo preso pela Lava-Jato

O caso do Partido dos Trabalhadores (PT) é o mesmo de um doente em estado terminal, que nenhum medicamento poderá evitar a sua morte. Nem mesmo prolongar a sua vida. É que os petistas no poder exorbitaram e fizeram do poder um meio para atingir fins escusos.

O Mensalão e o Petrolão e outros escândalos que ainda poderão aparecer no bojo da Operação Lava-Jato são exemplo de como alguns petistas e aliados dos governos petistas confundiram o público com o privado, ou seja, assaltaram os cofres públicos.

Se as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) forem investigadas, o Brasil verá que os escândalos do Mensalão e Petrolão foram executados por amadores.

As obras de transposição do Rio São Francisco, se forem investigadas também produzirão um escândalo de dimensão monumental.  

Nem um processo de refundação será capaz de recuperar a imagem do Partido dos Trabalhadores (PT) e fazer com que o povo brasileiro volte a confiar num partido que um dia representou a esperança de dias melhores e a construção de um país decente, menos desigual e mais justo.   

E para complicar ainda mais a situação do PT, a direção nacional do PT tenta de todas as maneiras inviabilizar o governo Dilma Rousseff, para manter Lula na disputa em 2018.
Postar um comentário