sábado, 2 de janeiro de 2016

A CODEVASF no PI e MA não produz nem chuchu


A CODEVASF no PI e MA só produz calçamento e sentina

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF), vinculada ao Ministério da Integração Nacional, tem por missão promover o desenvolvimento e a revitalização das bacias dos rios São Francisco e Parnaíba com a utilização sustentável dos recursos naturais e estruturação de atividades produtivas para a inclusão econômica e social.

Essa companhia de fomento, nas bacias do Rio Parnaíba, Mearim e Itapecuru não cumpre a sua verdadeira vocação e missão que é promover o desenvolvimento e revitalização dessas duas bacias, porque as superintendências do Piauí e Maranhão estão mais empenhadas em produzir calçamento e sentinas no sertão do estado do Maranhão e no semiárido piauiense, como mostra essa placa de uma obra no município de Cel. José Dias, distante quase 500 km da beira do Rio Parnaíba.

Enquanto o Vale do São Francisco produz fruticultura irrigada em escala comercial e industrial, os vales do Parnaíba, Mearim e Itapecuru não produz nem chuchu e nem couve.


Em TemPO:


O município de São Raimundo Nonato, que já foi um grande produtor de mamona, feijão, mandioca e milho, devido à escassez de água deixou de produzir esses produtos em escala comercial e até, como agricultura familiar. O que também contribui para o desaparecimento dessas culturas neste município - é a falta de assistência técnica, que a CODEVASF deveria prestar aos pequenos e médios agricultores. Mas, a CODEVASF no Piauí e Maranhão optou por fazer calçamento de ruas, praças e latrinas. Isso é que se pode chamar de inversão de prioridades e de missão. A pequena criação de gado desta microrregião, também está sob séria ameaça de desaparecimento, por falta de água.
Postar um comentário