quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

FIRMINO FILHO não merece um quarto mandato



Para inicio de conversa, convém lembrar que nas verdadeiras democracias, como nos EUA, um político não tem direito sequer de se candidatar a um terceiro mandato para o Poder Executivo.

O presidente Barack Obama ao cumprir o seu segundo mandato, estará fora da política, mas no Brasil, um país do terceiro mundo, uma republiqueta de banana, onde o nível de consciência política do seu povo é sofrível, um partido pode eleger indefinidamente um político, como é o caso do prefeito de Teresina, que vai para o seu quarto mandato. E o que é mais grave: sem administrações que justifiquem um segundo, terceiro e quarto mandato.

Os governos do prefeito Firmino Filho (PSDB) se classificam entre medianos e medíocres, porque são governos sem nenhum ‘traço de originalidade’ e obras que coloquem o seu nome na história. O ex-prefeito Elmano Férrer, pelo menos construiu um viaduto de 50 metros e fez o maior carnaval na sua inauguração. Assim como a ‘reinvenção do Corso’, uma brincadeira sem graça e que não desperta nenhum interesse de pessoas de outros estados.

Em determinado momento eu cheguei a pensar que o teresinense era um povo esclarecido, mas, com as eleições sucessivas de tucanos para chefiar o Poder Executivo municipal da principal cidade do Piauí e sem apresentar resultados que justifique 30 anos (mais de um quarto de século) no governo na capital, a minha opinião mudou sobre o eleitor teresinense.  

Que tal eleger em 2016 o deputado Dr. Pessoa ou a vereadora Graça Amorim, ou dois, sendo um como candidato a vice do outro.
Postar um comentário