quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

O "Véin trabalhador" já foi longe demais



Já disse aqui neste espaço que a eleição de Elmano Férrer, um ex-prefeito tampão de Teresina, não se deu por mérito próprio, mas por uma série de fatores, como por exemplo, o esforço dos senadores Wellington Dias, Ciro Nogueira e João Vicente Claudino. Outro fator também muito importante, foi o apoio de um dos maiores grupos econômicos da região Nordeste e quiçá do Brasil.

Na disputa por uma cadeira no Senado na eleição de 2014 no estado do Piauí, deu-se uma polarização entre o candidato Elmano Férrer (PTB) e Wilson Martins (PSB). Nessa disputa como já disse acima, Elmano Férrer largou em vantagem, porque contava com o apoio de três senadores, haja vista, o seu opositor marchar só com o apoio de um governador que entrou na disputa pela sua reeleição, moralmente vencido, porque não tinha respaldo popular e político.

Elmano Férrer que substitui o médico Silvio Mendes no comando da prefeitura de Teresina, investiu mais em publicidade do que em obras estruturantes. Os moradores dos bairros São Cristóvão e Jockey Club na zona Leste desta capital, não querem nem ouvir falar no nome de Elmano, que fez um comício fora de época num desses dois bairros para anunciar a construção da galeria da rua Eustáquio Portella, o que até o presente momento nunca aconteceu.

Resumo da Ópera: Elmano Férrer não fez nada por Teresina que justificasse a expressiva votação que recebeu em 2014 e que justifique a sua pretensão de querer ser eleito prefeito de Teresina. Véin trabalhador, uma ova!
Postar um comentário