sexta-feira, 1 de julho de 2016

A nossa maior pobreza é a de espirito


O que é ser pobre de espírito? Trata-se de não ter ambição, é falta de tenacidade e de perseverança. Coisas que adquirimos num ambiente que nos desperta esses valores. Para as pessoas que nascem e são criadas num ambiente formado por pessoas cultas e com visões futuristas, o despertar para o crescimento espiritual e material acontece naturalmente e desde a tenra idade. Essas são pessoas bem nascidas.

Existem pessoas que são pobres de nascimento, não tem bens materiais e até passam necessidades, mas não são pobres de espírito porque, como se diz, pensam alto e conseguem fugir ao determinismo histórico. Essas são pessoas iluminadas.

O acesso ao conhecimento acaba fazendo a diferença porque enquanto os bem nascidos crescem num ambiente amplamente favorável ao despertar do conhecimento, o pobre, até por falta de estímulos intelectuais, tem pouca disposição para buscar o conhecimento através do estudo. A dificuldade de acesso à informação cria barreiras sociais intransponíveis.   

Voltemos ao determinismo histórico. É a teoria filosófica de que todo acontecimento (inclusive o mental) é explicado pela determinação, ou seja, por relações de causalidade. A causa da preguiça é a pobreza que não permite que a pessoa se alimente bem e que tenha acesso a uma saúde e educação de qualidade pelo menos razoável.

O que falta ao Brasil é a igualdade de oportunidade para todos, o que só se consegue através de uma educação que favoreça a igualdade de oportunidade, preconizada por quem combate o fosso social que separa ricos e pobres.

por Irwing Maranhão 
Postar um comentário