sexta-feira, 7 de outubro de 2016

A escolha de Marina Silva

“As decisões estratégicas que foram conformando o perfil da Rede partiram todas de Marina e apenas dela, desde a decisão de entrar no PSB até a decisão favorável ao impeachment da presidente Dilma”. (Frase atribuída aos intelectuais que abandonaram o partido Rede de Sustentabilidade, por discordarem das orientações e decisões de Marina Silva)

São as nossas escolhas que quase sempre determinam o nosso futuro, para o bem ou para o mal. Quando escolhemos de maneira errada ou equivocada, no futuro sofreremos às consequências.

Esse parece ser o caso da ex-senadora, ex-ministra e fundadora do partido Rede de Sustentabilidade, Marina Silva ao apoiar o processo de impeachment da então presidenta da república Dilma Rousseff.

Insatisfeitos com a decisão errada e equivocada de Marina Silva é que sete intelectuais que a ajudaram a fundar o seu partido, resolveram anunciar os seus desligamentos do partido Rede de Sustentabilidade, usando como justificativa para essa tomada dessa decisão, o autoritarismo dessa ex-senadora com relação a temas-chaves como o apoio ao impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff.

Esse erro de avaliação e a posterior decisão de Marina Silva apoiar o impeachment de Dilma Rousseff, foi crucial para o seu futuro político e do partido, porque se ex-petista não tivesse tomada essa decisão de maneira açodada e equivocada, os petistas que ficaram órfão de Lula e sem candidato em 2018, fatalmente votariam numa ex-companheira de partido. Marina Silva que nas eleições passadas já entrou nas disputas com uma preferência inercial, algo em torno de 20 milhões de votos e que somados aos votos da esquerda seriam suficientes para elege-la em 2018.
Postar um comentário