quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Livro Estopim poderá implodir o governo



“Delação não está no nosso radar”, diz advogado de Eduardo Cunha, algumas horas depois da prisão do ex-presidente da Câmara Federal. Da prisão de um político que até bem pouco tempo era o mais respeitado e temido político brasileiro. Temido e respeitado, porque esse ex-parlamentar fluminense, sabe muito sobre o presidente Michel Temer, o núcleo duro do governo Temer e a cúpula do PMDB.

Como está mais do que provado que a cadeia quebra toda e qualquer resistência e abate moralmente o preso, Eduardo Cunha, assim o ex-presidente do grupo Odebrecht que resistiu até onde pode, vai acabar aceitando o benefício da delação premiada. Ainda mais ele sabendo que a sua esposa e filha poderão lhe fazer companhia em Curitiba.

Magoado com os seus ex-companheiros de partido, esse peemedebista vive alardeando que está escrevendo um livro, onde ele promete dizer tudo o que sabe a respeito dos seus algozes e daqueles que o abandonaram na hora mais necessária. Com a publicação do seu Livro Estopim é de se supor que esse ex-parlamentar não deixe pedra sobre pedra.

Quem esperava que Cunha ao ser cassado sairia atirando para todos os lados, deve ter se decepcionado com o seu silêncio. Mas, ocorre que como esse ex-deputado é um homem muito ladino e estudioso, ele se guardou para usar os seus “ataques cirúrgicos” no momento e na hora certa. E esse momento pelo visto está chegando, com a possibilidade de que ele venha a aderir ao benefício da colaboração premiada.

Ouso afirmar que neste momento no Palácio do Planalto, tem muita gente apelando para o uso de tranquilizantes, para manter uma tranquilidade aparente. O bicho vai pegar e o governo Temer poderá implodir com as delações de Marcelo Odebrecht e Eduardo Cunha. Quem viver verá!
Postar um comentário