quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Eduardo Cunha não alimenta mais nenhuma esperança



O pleno do Supremo Tribunal Federal (STF) deu o tiro de misericórdia no fio de esperança que o ex-deputado federal estava se segurava ao não rejeitar o pedido de Habeas Corpus impetrado por um dos seus advogados, na tarde de ontem (15/02).

Por oito votos a um, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, na tarde de ontem (15/02), manter a prisão do ex-deputado federal Eduardo Cunha. O peemedebista está preso por ordem do juiz Sergio Moro desde 19 de outubro de 2016 e atualmente responde a três ações penais decorrentes da Operação Lava-Jato.

Votaram contra o pedido de liberdade de Cunha os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia e Celso de Mello. O único voto divergente foi o do ministro Marco Aurélio Mello. O ministro Ricardo Lewandowski não estava presente na sessão desta tarde.

Eduardo Cunha que vem relutando em aceitar o benefício da delação premiada, com mais essa derrota e sem perceber nenhum movimento da parte do PMDB no sentido de salvá-lo ao se sentir abandonado pelos seus ex-companheiros de partido e pelo governo e sem outra alternativa vai acabar aceitando o benefício da delação premiada. O que muita gente no PMDB e no governo temem.

A prisão e a desesperança acabam por destruir qualquer resistência.
Postar um comentário