sexta-feira, 3 de junho de 2016

Renan Calheiros 'anda na corda bamba' sem sombrinha


Renan de cara fechada e revelando preocupação

A situação do presidente do Senado, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) se complica a cada dia. Os rumores sobre o afastamento de Renan Calheiros da presidência do Senado dominaram as conversas durante o jantar oferecido na casa do senador Wellington Fagundes (PR-MT), na noite desta quarta-feira (1/6).

As gravações telefônicas da delação premiada do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado têm feito crescer na Procuradoria Geral da República a disposição para dar ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), tratamento semelhante ao que foi dado ao presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ou seja, pedir o afastamento do senador Renan Calheiros ao STF.

Renan já renunciou uma vez

O Renangate é o apelido dado ao escândalo de corrupção envolvendo o senador alagoano Renan Calheiros (PMDB-AL)), acusado de receber ajuda financeira de lobistas ligados a construtoras, que teriam pago despesas pessoais, como o aluguel de um apartamento e a pensão alimentícia de uma filha do senador com a jornalista mineira Monica Veloso. Esse escândalo obrigou Renan Calheiros a renunciar à presidência do Senado, o que poderá se repetir nos próximos dias ou horas.

A gravação feita pelo ex-diretor da Transpetro, Sérgio Machado do diálogo mantido entre ele e Renan Calheiros, uma gravação que já provocou duas baixas no governo provisório de Michel Temer, poderá provocar a prisão, o afastamento e a consequente renúncia do presidente do Senado.
Não há nenhum exagero em afirmar que o clima é de muita tensão e apreensão no Senado.
Postar um comentário