quarta-feira, 20 de julho de 2016

Governo Temer continua flertando com o perigo



O provisório governo do peemedebista Michel Temer que já foi obrigado a forçar o pedido de demissão de três ministros num espaço de menos de um mês, insiste em nomear ministros pelo critério político, o que vem lhe causando muitos dissabores, porque são escolhas partidárias, o que elimina o critério da meritocracia e da biografia recomendável.

Escolha temerária

O presidente provisório Temer está prestes a escolher o nome do novo ministro do Turismo. Para substituir Henrique Eduardo Alves, afastado depois que a Lava Jato descobriu sua conta secreta na Suíça, o presidente escolheu o deputado federal alagoano Marx Beltrão. Foi indicado por Renan Calheiros, o mandachuva do Senado, também encrencado na Lava Jato. O próprio Beltrão é réu no Supremo Tribunal Federal por falsidade ideológica. Nesse caso, o indicador e o indicado tem contas a ajustar com a justiça.

A propósito

A policia Federal descobriu encontros entre o atual presidente da república em exercício, Michel Temer e o ex-presidente da construtora Andrade Gutierrez Otávio Azevedo, entre os anos de 2012 e 2014. Encontros esses intermediados pelo deputado federal afastado, Eduardo Cunha. O empresário Otávio Azevedo está preso em regime fechado, sob suspeita de pagamentos de propinas.
Postar um comentário