sexta-feira, 7 de outubro de 2016

O PT em maus lençóis



A situação do Partido dos Trabalhadores (PT) no plano nacional, poderá se repetir no estado do Piauí, uma vez que o governador Wellington Dias, numa tentativa desesperada de manter um canal de acesso ao governo Temer, optou por apoiar incondicionalmente o Partido Progressista (PP) nestas eleições municipais, o que acabou desagradando tanto o PMDB como o PP e até mesmo, uma parte bastante significativa do seu próprio partido.   

As derrotas do ex-deputado federal Marllos Sampaio na disputa pela prefeitura do município de Esperantina e do ex-prefeito Gil Paraibano em Picos, desagradou ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (PMDB) e ao senador Ciro Nogueira (PP-PI), que foram derrotados nesses respectivos municípios, pelo que o jornalista Feitosa Costa, do Portal GP1, classificou como o rolo compressor do governador.

“Na avaliação de políticos mais experientes, o "rolo compressor" que o Governo decidiu passar sobre candidatos, principalmente aqueles que enfrentavam os mais próximos ao PT, não foi a melhor decisão. O caso mais emblemático foi o de Esperantina, onde o suplente de deputado federal Marllos Sampaio (PMDB)”, disse Feitosa Costa.

Essas eleições deixaram feridas abertas que dificilmente serão cicatrizadas, porque foram profundas e atingiram interesses vitais desses dois políticos citados acima. Como o momento não favorece ao PT em todos os níveis, não será surpresa para ninguém se o governador Wellington Dias for abandonado pelos seus aliados, o que abrirá caminho até para que seja aberta uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), como pretendem alguns deputados da oposição que querem investigar a participação do governo do PT nas eleições municipais de 2016.

O fator Dilma Rousseff poderá se repetir no Piauí, já que o PT está muito fragilizado e vulnerável, o que favorece qualquer iniciativa no sentido de apear Wellington Dias e o PT do poder neste estado. Quem viver verá!
Postar um comentário