quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Réu poder governar um país é a suprema desmoralização



Numa país realmente sério pôr em discussão se um réu pode assumir o governo não é sequer cogitado. Mas, como este país não passa de uma republiqueta de banana, o Supremo Tribunal Federal (STF), ainda perde tempo e dinheiro discutindo essa aberração.

Segundo o dicionário Aurélio, réu é uma pessoa que é alvo de um processo judicial e que é acusado de ter culpa. Uma pessoa investigada passa à condição de indiciada, por exemplo, quando o inquérito policial aponta um ou mais indícios de que ela cometeu determinado crime. O indiciamento é formalizado pelo delegado de polícia, com base em evidências colhidas em depoimentos, laudos periciais e escutas telefônicas, entre outros instrumentos de investigação.

Em seguida, quando o inquérito é concluído, a autoridade policial o encaminha ao Ministério Público, que, por sua vez, passa a analisar se há ou não provas contra o indiciado. Se considerar que há provas, o Ministério Público, por meio do promotor de Justiça, apresenta denúncia à Justiça.

Quando o Judiciário aceita a denúncia formulada pelo Ministério Público, o denunciado passa à condição de réu e começa a responder a processo judicial.

Se a polícia investiga e conclui pela evidencia de provas e após o inquérito ser concluído, o Ministério Público considera que há provas substanciais e apresenta denúncia, a possibilidade de que o acusado não tenha culpa é quase zero. E quando o judiciário aceita a denúncia formulada pelo Ministério Público, o denunciado passa à condição de réu e começa a responder a processo judicial.

Por Bertoldo Klinger da Silva Tupinamba
Postar um comentário